Binho Lins

Binho Lins
Binho Lins

terça-feira, 14 de maio de 2013

TESTEMUNHO - GUILHERME DE SÁ - ROSA DE SARON

Galera vale apena assistir!


Paz & Unção

Binho Lins

Saga Músicas inesqueciveis – Parte 1


Eu não me esqueço

Filmado por Fábio Paz



Binho Lins

Meu Universo

Binho Lins Canta PG



 Binho Lins

Haroldo Motta


Em 2006 em um show que fizemos juntos, Anjos de Resgate e Ministério Santo Antônio no Asa Branca do Cabo, tive a oportunidade de conhecer meu grande AMIGO e IRMÃO Haroldo, quando eu o conhecir ele não era nem chamado de kblo ainda só de Haroldo, o mesmo não tinha aquela cabeleira que é sua caracteristica principal, “que ele diz que é seu charme”  hehehehe, trocamos e-mail e telefones e sempre a nossa aizade crescia, até que um dia na loucura que só ele tem ele me ligou e falou, Estou indo ai para Pernambuco, tal dia eu chegou por ai. Agelera sabe onde eu fui buscar o cara, ele chegando de Sampa:

A)  Aeroporto
B)  Rodoviária
C)  Estão de trêm a diesel
D)  Porto


Quem respondeu letra A não acerteou, a resposta certa é a letra C, na estação do Cabo de Santo Agostinho, lembro como se fosse hoje, ele foi no Bradesco tirou uma granda, olhou para mim e disse: - Onde tem um hotel para eu ficar? Eu respondi você está me casa não precisa de hotel, ele foi para minha casa, saimos fomos para o mercadão, “ Nesse tepo era bom”, no dia seguinte fomos para as praias do cabo, uma alegria muito grande tomou conta dele ficou maravilhado, com tudo, gostou tanto que todo mês está aqui.   hehehehehe
Eu não sei como expresar o carinho que tenho por esse cara, sei que estou devendo uma visita a ele, pois a correria está grande na minha vida, mais um dia eu e Paloma iremos em Sampa.
Cara ele mefez a maior surpresa vindo para o meu casamento e o safado ainda ligou e falou: - Binho não vai dar para eu ir por conta da chuva, quando eu vi estava ele lá com Thiba.
Então meu grande amigo, sucesso, paz unção e muita felicidade para você. Você sabe que é de coração tudo que estou te falando.

Segue um video eu e ele cantando em um restaurante em Gaibu


Binho Lins

Ministério de Música Santo Antônio

Uma relação de Amor x Ódio, não sei como explicar a sensação que eu sempre sentia tocando com o ministério Santo Antônio, a qualidade musical era incomparável, bons músicos, arranjadores e até um maestro era composto o ministério, sempre muito tumultuado e arrancando sorrisos, alegrias e lagrimas por onde passava, éramos imbatíveis a se éramos, isso agente pensava.
Com um repertório irreverente e explosivo conquistamos o carinho de quase todo Pernambuco onde quando íamos tocar até os melhores ministérios paravam para ver a forma e como tocávamos, tocávamos soltos no palco com uma alegria que não podia se explicar, mais devido a uma série de acontecimentos e fatores, tudo isso chegou ao fim. Quem foi o culpado? O padre? A fama? Ou nos mesmos.
No ultimo domingo de páscoa fui convidado mais uma vez para cantar no ministério, juntamos quase todo mundo e tiramos onda, nos divertimos, pena que acabou muito rápido a caminhada e alegria, e logo quando saímos do trio elétrico o desanimo tomou conta de mim e de e de quase todos que queríamos fazer o bem, fomos julgados, acusados e expostos a dedos que só apontavam e não deram nem um muito obrigado.
Temos que agradecer a Tereza Mota, que sempre acreditou em nosso trabalho, e nos defendeu até o fim, e quando ela viu que iam fazer safadeza com o ministério nos defendeu até o fim, e se responsabilizou pelo que ia acontecer e simplesmente nos defendeu.
É por essas e outras que eu Binho Lins só faço o que tem de ser feito agora que é minha obrigação não como músico e sim como servo que é tocar nas missas.



Binho Lins 

sábado, 11 de maio de 2013

FELIZ DIAS DAS MÃES - MÃE TE AMO

Bendiz o amor imensurável
Nos jardins pintados de cores
O vento beijando a face
A face molhada de amor...

Festa de mãe é universal
Mãe é flor e nós os pedaços
Retirados da sua alma
Eternos em seus braços.

Mãe de todas as idades
São detentoras da força
Defensoras da felicidade
Guerreiras do amor...

Mães de todas as idades
Auras de mil luminescências
Braços fortes aureolados
Senhora de doces sentimentos.

Nas noites ora a mãe
Pedindo a Deus pelos filhos
Pedindo a sua benção
Saúde amor e vida...

Mãe nunca morre
Transporta-se para eternidade
É bela soberana e nobre
É sinônimo de vida e felicidade...

Mãe e mães meu abraço
Um beijo bem apertado
Em seu rosto iluminado
Nesse dia imensurável.

Ser mãe é ser vida e amor
Encanto de pureza e coragem
No lar uma eterna flor
Exalando esperança e paz...


(Luiz Gonzaga Bezerra)

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Tem alguém ai?


Insisto a escrever nesse blog mais sei que ninguém ler, por tanto pergunto mais uma vez:


TEM ALGUEM AI?

Gravação do CD de Binho Lins

Galera o CD mais esperado de Pernambuco no meio da música católica Está saindo do papel para os ouvidos da galera, em Junho Binho Lins Inicia seus trabalhos de gravação do seu primeiro CD, Vai ser um CD bem para cima, com música que vão levar o novo jeito de ouvir os artistas católicos, com um som diferenciado para atender todos os públicos.

Mais postagem em breve sobre o CD.

Binho Lins
Paz e Unção

História da Música

História da Música

 
Podemos dizer que a “Música” é a arte de combinar os sons e o silêncio. Se pararmos para perceber os sons que estão a nossa volta, concluiremos que a música é parte integrante da nossa vida, ela é nossa criação quando cantamos, batucamos ou ligamos um rádio ou TV. Hoje a música se faz presente em todas as mídias, pois ela é uma linguagem de comunicação universal, é utilizada como forma de “sensibilizar” o outro para uma causa de terceiro, porém esta causa vai variar de acordo com a intenção de quem a pretende, seja ela para vender um produto, ajudar o próximo, para fins religiosos, para protestar, intensificar noticiário, etc.
A música existe e sempre existiu como produção cultural, pois de acordo com estudos científicos, desde que o ser humano começou a se organizar em tribos primitivas pela África, a música era parte integrante do cotidiano dessas pessoas. Acredita-se que a música tenha surgido há 50.000 anos, onde as primeiras manifestações tenham sido feitas no continente africano, expandindo-se pelo mundo com o dispersar da raça humana pelo planeta. A música, ao ser produzida e/ou reproduzida, é influenciada diretamente pela organização sociocultural e econômica local, contando ainda com as características climáticas e o acesso tecnológico que envolvem toda a relação com a linguagem musical. A música possui a capacidade estética de traduzir os sentimentos, atitudes e valores culturais de um povo ou nação. A música é uma linguagem local e global.
Na pré-história o ser humano já produzia uma forma de música que lhe era essencial, pois sua produção cultural constituída de utensílios para serem utilizados no dia-a-dia, não lhe bastava, era na arte que o ser humano encontrava campo fértil para projetar seus desejos, medos, e outras sensações que fugiam a razão. Diferentes fontes arqueológicas, em pinturas, gravuras e esculturas, apresentam imagens de músicos, instrumentos e dançarinos em ação, no entanto não é conhecida a forma como esses instrumentos musicais eram produzidos.
Das grandes civilizações do mundo antigo, foram encontrados vestígios da existência de instrumentos musicais em diferentes formas de documentos. Os sumérios, que tiveram o auge de sua cultura na bacia mesopotâmia a milhares de anos antes de Cristo, utilizavam em sua liturgia, hinos e cantos salmodiados, influenciando as culturas babilônica, caldéia, e judaica, que mais tarde se instalaram naquela região.
A cultura egípcia, por volta de 4.000 anos a.C., alcançou um nível elevado de expressão musical, pois era um território que preservava a agricultura e este costume levava às cerimônias religiosas, onde as pessoas batiam espécies de discos e paus uns contra os outros, utilizavam harpas, percussão, diferentes formas de flautas e também cantavam. Os sacerdotes treinavam os coros para os rituais sagrados nos grandes templos. Era costume militar a utilização de trompetes e tambores nas solenidades oficiais.
Na Ásia, a 3.000 a.C., a música se desenvolvia com expressividade nas culturas chinesa e indiana. Os chineses acreditavam no poder mágico da música, como um espelho fiel da ordem universal. A “cítara” era o instrumento mais utilizado pelos músicos chineses, este era formado por um conjunto de flautas e percussão. A música chinesa utilizava uma escala pentatônica (cinco sons). Já na Índia, por volta de 800 anos a.C., a música era considerada extremamente vital. Possuíam uma música sistematizada em tons e semitons, e não utilizavam notas musicais, cujo sistema denominava-se “ragas”, que permitiam o músico utilizar uma nota e exigia que omitisse outra.
A teoria musical só começou a ser elaborada no século V a.C., na Antiguidade Clássica. São poucas as peças musicais que ainda existem deste período, e a maioria são gregas. Na Grécia a representação musical era feita com letras do alfabeto, formando “tetracordes” (quatro sons) com essas letras. Foram os filósofos gregos que criaram a teoria mais elaborada para a linguagem musical na Antiguidade. Pitágoras acreditava que a música e a matemática formavam a chave para os segredos do mundo, que o universo cantava, justificando a importância da música na dança, na tragédia e nos cultos gregos.
É de conhecimento histórico que os romanos se apropriaram da maioria das teorias e técnicas artísticas gregas e no âmbito da música não é diferente, mas nos deixaram de herança um instrumento denominado “trompete reto”, que eles chamavam de “tuba”. O uso do “hydraulis”, o primeiro órgão cujos tubos eram pressionado pela água, era freqüente.
Hoje é possível dividir a história da música em períodos específicos, principalmente quando pretendemos abordar a história da música ocidental, porém é preciso ficar claro que este processo de fragmentação da história não é tão simples, pois a passagem de um período para o outro é gradual, lento e com sobreposição. Por volta do século V, a igreja católica começava a dominar a Europa, investindo nas “Cruzadas Santas” e outras providências, que mais tarde veio denominar de “Idade das Trevas” (primeiro período da Idade Média) esse seu período de poder.
A Igreja, durante a Idade Média, ditou as regras culturais, sociais e políticas de toda a Europa, com isto interferindo na produção musical daquele momento. A música “monofônica” (que possui uma única linha melódica), sacra ou profana, é a mais antiga que conhecemos, é denominada de “Cantochão”, porém a música utilizada nas cerimônias católicas era o “canto gregoriano”. O canto gregoriano foi criado antes do nascimento de Jesus Cristo, pois ele era cantado nas sinagogas e países do Oriente Médio. Por volta do século VI a Igreja Cristã fez do canto gregoriano elemento essencial para o culto. O nome é uma homenagem ao Papa Gregório I (540-604), que fez uma coleção de peças cantadas e as publicou em dois livros: Antiphonarium e as Graduale Romanum. No século IX começa a se desenvolver o “Organum”, que são as primeiras músicas polifônicas com duas ou mais linhas melódicas. Mais tarde, no século XII, um grupo de compositores da Escola de Notre Dame reelaboraram novas partituras de Organum, tendo chegado até nós os nomes de dois compositores: Léonin e Pérotin. He also began the “Schola Cantorum” that gave great development to the Gregorian chant.
A música renascentista data do século XIV, período em que os artistas pretendiam compor uma música mais universal, buscando se distanciarem das práticas da igreja. Havia um encantamento pela sonoridade polifônica, pela possibilidade de variação melódica. A polifonia valorizava a técnica que era desenvolvida e aperfeiçoada, característica do Renascimento. Neste período, surgem as seguintes músicas vocais profanas: a “frótola”, o “Lied” alemão, o Villancico”, e o “Madrigal” italiano. O “Madrigal” é uma forma de composição que possui uma música para cada frase do texto, usando o contraponto e a imitação.
Os compositores escreviam madrigais em sua própria língua, em vez de usar o latim. O madrigal é para ser cantado por duas, três ou quatro pessoas. Um dos maiores compositores de madrigal elisabetano foi Thomas Weelkes.
Após a música renascentista, no século XVII, surgiu a “Música Barroca” e teve seu esplendor por todo o século XVIII. Era uma música de conteúdo dramático e muito elaborado. Neste período estava surgindo a ópera musical. Na França os principais compositores de ópera eram Lully, que trabalhava para Luis XIV, e Rameau. Na Itália, o compositor “Antonio Vivaldi” chega ao auge com suas obras barrocas, e na Inglaterra, “Haëndel” compõe vários gêneros de música, se dedicando ainda aos “oratórios” com brilhantismo. Na Alemanha, “Johann Sebastian Bach” torna-se o maior representante da música barroca.
A “Música Clássica” é o estilo posterior ao Barroco. O termo “clássico” deriva do latim “classicus”, que significa cidadão da mais alta classe. Este período da música é marcado pelas composições de Haydn, Mozart e Beethoven (em suas composições iniciais). Neste momento surgem diversas novidades, como a orquestra que toma forma e começa a ser valorizada. As composições para instrumentos, pela primeira vez na história da música, passam a ser mais importantes que as compostas para canto, surgindo a “música para piano”. A “Sonata”, que vem do verbo sonare (soar) é uma obra em diversos movimentos para um ou dois instrumentos. A “Sinfonia” significa soar em conjunto, uma espécie de sonata para orquestra. A sinfonia clássica é dividida em movimentos. Os músicos que aperfeiçoaram e enriqueceram a sinfonia clássica foram Haydn e Mozart. O “Concerto” é outra forma de composição surgida no período clássico, ele apresenta uma espécie de luta entre o solo instrumental e a orquestra. No período Clássico da música, os maiores compositores de Óperas foram Gluck e Mozart.
Enquanto os compositores clássicos buscavam um equilíbrio entre a estrutura formal e a expressividade, os compositores do “Romantismo” pretendem maior liberdade da estrutura da forma e de concepção musical, valorizando a intensidade e o vigor da emoção, revelando os pensamentos e sentimentos mais profundos. É neste período que a emoção humana é demonstrada de forma extrema. O Romantismo inicia pela figura de Beethoven e passa por compositores como Chopin, Schumann, Wagner, Verdi, Tchaikovsky, R. Strauss, entre outros. O romantismo rendeu frutos na música, como o “Nacionalismo” musical, estilo pelo qual os compositores buscavam expressar de diversas maneiras os sentimentos de seu povo, estudando a cultura popular de seu país e aproveitando música folclórica em suas composições. A valsa do estilo vienense de Johann Strauss é um típico exemplo da música nacionalista.
O século XX é marcado por uma série de novas tendências e técnicas musicais, no entanto torna-se imprudente rotular criações que ainda encontra-se em curso. Porém algumas tendências e técnicas importantes já se estabeleceram no decorrer do século XX. São elas: Impressionismo, Nacionalismo do século XX, Influências jazzísticas, Politonalidade, Atonalidade, Expressionismo, Pontilhismo, Serialismo, Neoclassicismo, Microtonalidade, Música concreta, Música eletrônica, Serialismo total, e Música Aleatória. Isto sem contar na especificidade de cada cultura. Há também os músicos que criaram um estilo característico e pessoal, não se inserindo em classificações ou rótulos, restando-lhes apenas o adicional “tradicionalista”.
Fontes
BENNETT, Roy. Uma breve história da música.Rio de Janeiro: Zahar, 1986.
COLL, César, TEBEROSKY, Ana. Aprendendo Arte. São Paulo: Ática, 2000

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Enquanto isso no Canta PE - PARTE 2

VAMOS LÁ GALERAAAA!



Em breve Binho Lins no

SOM DAS TRIBOS

Enquanto isso no Canta PE - PARTE 1

Saiu o resultado do 1º Canta PE Fest.


Os vencedores do 1º Canta PE Fest foram:


Pádua Júnior, de Amaraji-PE,

Viviane Arruda, de Paulista-PE,

Cylene Araujo, de Paulista-PE.


Agradecemos a participação dos 19 artistas neste projeto e queremos dizer que haverá outras
oportunidades em breve! Estamos agora avaliando a Categoria Composição.


Deus abençoe a todos!
Não vou mentir estava torcendo por Júnior!
É nósssss
hehehehe

Binho Lins

Nem eu sei o que escrevi!


Por alguns instantes eu sinto Raiva não vou mentir, seria hipocrisia minha falar que eu sou um se humano perfeito, o problema de muitos nós religiosos é vestir mascaras e falar que é santo, que santo merda nenhuma, temos raiva, defeitos, de 100% que agente prega 50% é verdade, muitas vezes tive que falar de amor cheio de ódio no coração, a onde isso vai levar? Vou para missa quando eu quero e tenho vontade, evangelizo quando vem na cabeça e da forma que vem na minha cabeça, o que importa é ser verdadeiro.
Certo dia fiz falei a seguinte frase: Todo mundo algum dia não desconfiou da existência de Deus? E quase fui crucificado por isso, - agora me responda uma coisa? Quem nunca fez esse questionamento, atire a primeira pedra! Pessoal Deus é tão maravilhoso que proporciona momentos como esses, de questionar de olhar para o céu e ver aquela imensidão que é o espaço e falar: - Como isso está ai? Quem fez? Por que? Pra quem?
Deus é maravilhoso e grande.
Outra coisa que eu faço que é verdade, Depois de comungar eu sempre gosto de usar essa expressão: - Estou com o Rei na barriga! Estou mentindo? Claro que não!
Para encerrar vou deixar uma a ultima pergunta, sei que ninguém ver meu blog mesmo, por que nunca ninguém se manifesta e não vejo o marcador de acesso sair de 10.954 nos últimos meses, mais vamos lá?

Se Deus nos fez a sua imagem e semelhança, por que nos sempre nos tratamos a ele como um nada?

terça-feira, 7 de maio de 2013

Banda Príncipe da Fé


Criada a parti do sonho de evangelizar com uma pitada de um dos mais envolventes estilos músicas que é o Reggae, Evangelização+Reggae = Príncipe da fé , que eu tenho a honra de ser fã, amigo, conselheiro, e vi a história dessa banda ser desenrolada com muita luta, dor, sofrimento e alegria, a cada minuto que se passa vejo o pessoal evoluindo cada vez mais, a emoção toma conta de mim e de quem ouve esse som que contagia o povo onde passa.
Mais assim como todo mundo passa por dificuldades pelo mesmo motivo de todos os músicos, falta de alguém que acredite nesse sonho, eu acredito e você....


Paz e Unção a todos

Binho Lins

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Binho Lins e Maikon Anjos de Resgate

Em 2006 tive o prazer de conhecer um grande amigo, simples, acanhado, tímido mesmo, mais uns dos melhores bateristas que já conheci, no palco aquela imagem de menino acanhado da lugar a um talento inexplicável. Baterista da banda Anjos de resgate Maikon Maximo, em visita a cidade do Cabo de Santo Agostinho, faz um som com Binho Lins na sala da casa de Berg, muita alegria e muita descontração e um jantar maravilhoso feito por dona Solange, trocamos idéias e fizemos aquele som.

Valeu Maikon que sempre me trata com todo carinho e respeito e que sempre apoio meu trabalho.

Paz e Unção

By Binho Lins

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Zeca Pastory Música Transe (Djavan) inscrição The Voice Brasil .

Galera vamos divulgar ai, grande Zeca Pastory     talento Pernambucano de cabense um dos melhores músicos e cantores que eu já tive o prazer de ouvir cantar e tocar.

quinta-feira, 21 de março de 2013

SHOW DE BINHO LINS EM FERNANDO DE NORONHA

No ultimo dia 08 de Março de 2013, A Ilha de Fernando de Noronha contou com um belíssimo show de Binho Lins, no Bar do Cachorro. Em visita a Ilha foi apresentado ao Padre Glemio o projeto do Louval com Cristo, onde se tudo der certo a Ilha vai fazer parte do Circuito. Foi muito bom, obrigado aos Nativos e turistas..... Paz&unção......